sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Meu frio na barriga de sempre

É um prazer conhecê-la
Embora tanta mudança nesse seu estado de espírito às vezes me confunda um pouco
Sua cara amarrada do dia
Seu sorrido largo do outro
Aquela certeza incerta que se desfaz quando a gente dobra a esquina

A gente se vê no espelho
E tudo que é seu continua no mesmo lugar
Mas às vezes os olhos piscam rápidos demais
E em outras parecem nunca descansar

Depois reconheço
Bem no meio do estômago
Aquele frio tão particular
Sempre do mesmo jeito, no mesmo lugar

1 comentário:

Hosana Lemos disse...

"Sempre do mesmo jeito, no mesmo lugar"

e sempre...e sempre...e sempre!
=/