quinta-feira, 10 de junho de 2010

Antes de dormir

Ontem, enquanto falava com sua mente tagarela, sentiu-se invadida por tantos questionamentos:
-Porque você é assim?
-Porque se conforma?
-Porque não grita?
-Porque tem medo?
-Porque enrola essa mesma mecha de cabelo nos dedos desde quando nascemos?
-Porque não me dá atenção?

Começou a sentir um enjôo estranho, uma ansia, uma raiva.
Tentou controlar por alguns segundos, mas a mente incansável não parava de perguntar coisas para as quais ela não tinha resposta:

-Como pode não sentir vergonha por não trabalhar?
-Como consegue não gostar de celular?
-Como faz pra dormir um sono tão pesado sem remorso?
-Como pode não se importar?
-Como faz pra esquecer?
-Como faz pra fingir esquecer?

Intimidada e sentindo-se invadida deu um basta na situação:

Ela: -Pára, fique quieta, chega disso. Não quero mais ser perturbada por você, preciso dormir.
A mente: -Então tá querida, nos falamos amanhã.
Ela: -Não, você não precisa vir amanhã, nem depois de amanhã, nem nunca mais. Já basta de tanta interrogação, isso nunca vai dar em nada, você não percebe que há dias passamos a noite assim, discutindo em torno de algo que não pretendo mudar?
A mente: -Mas você é tola mesmo, é claro que quer mudar, só não sabe como.
Ela: -E você por acaso sabe? Pode me ensinar?
A mente gargalhou de forma estridente.
Ela: -Tá rido de que sua loca?
A mente: -Da sua ingenuidade. É claro que não vou ensinar nada, meu papel não é esse, venho aqui apenas pra te atormentar!

Sentindo-se derrotada ela virou-se de lado, abraçou o travesseiro e disse baixinho:

-Vá agora, nos falamos amanhã.

1 comentário:

Milena Góes @ disse...

Amei o blog e o texto, ficaram perfeitos *--*
Lembra do CST? Então eu o reformei e perdi os seguidores, dá uma passada lá ta bem legal e, por favor, volta a seguir, obrigada desde já :D
http://i--willbe.blogspot.com/