quarta-feira, 9 de abril de 2008

Vestígios de algum domingo



Ela acorda espoleta, liga as vontades, quer fazer, ter comer, receber.
Ele abre metade dos olhos, cobre o rosto amarrotado com o lençol mal passado, desliga do mundo, mudo, não quer responder.
Enquanto isso ela lava o rosto com a água gelada, quer dizer te amo, rir por horas seguidas, tomar uma bebida, almoçar as três.
Ele fica pensando (hã), deita no sofá, levanta de lá para deitar na cama, e sua barriga ronca porque são 12:30h e ele ainda não almoçou.
E assim corre o dia. Denso. Tenso.
E nada acontece porque nada aconteceu.
É só isso mesmo. Um dia de opostos.
Ela na sala, rabiscando as linhas da agenda vencida, movida pela indignação.
Ele vê no computador o horário de mais uma seriado.
Faltam 5 minutos pra que ele deite denovo, no lado esquerdo do sofá novo.

3 comentários:

Fernanda disse...

DOMINGO
pouca coisa salva um domingo!
:)

amända. disse...

domingo é mesmo um dia de extremos.

=)

amända. disse...

AH, e a minha amiga foi no salão que voce recomendou, adorou a moça, disse que é simpaticissima, e adorou o corte e tudo mais.

obrigadão pela dica
;**